os melhores indie games de 2018

A cada ano, vemos o mercado de games mundial crescer, seja com consoles ou grandes títulos, estamos em um momento em que ser gamer é grande jornada de vida e um mal para seu bolso.

A maioria dos lançamentos feito pelas as grandes produtoras são caros, tornando nossa vida um pouco complicada, afinal temos boletos para pagar!

Um mercado antes considerado de nicho, que vem crescendo aos poucos e ganhando espaço são os Indies Games. As grandes produtoras começaram a olhar com mais cuidado para esse titulo lançados por jovens na garagem de casa, afinal alem de serem criativos e inovadores os indies são uma opção barata para quem quer um tipo diferente de aventura.

Pensando nesse nicho de mercado e 2018 sendo um grande ano para eles, preparando uma lista com os títulos que mais gostamos de jogar.

Vigilante Ranger

Na BGS 2018 (Brasil Game Show) conhecemos o estúdio brasileiro Sinergia Studios, com alguns jogos indies em realidade virtual, encontramos Vigilante Ranger, que esta em grande destaque em algumas plataformas VR, principalmente para celulares Android e do Galaxy VR da SamSung. Com a jogabilidade muito semelhante a um tower defense, você tem que defender seu território enfrentando um exercito de maquinas. O que mais chama a atenção nesse game, é a jogabilidade adaptada, onde você utiliza a visão do VR para trocar de torres e fazer update delas facilmente, dá uma sensação muito legal de andar em meio a uma guerra futurística.

Vigilante_Ranger

Lenin The Lion

Presente na  BGS 2018 (Brasil Game Show) e no Big Festival 2018, Lenin The Lion é um jogo que fala sobre um dos maiores problemas enfrentados por jovens hoje, depressão! Já vimos alguns indies aqui com uma narrativa sobre o tema, rainy day é bom exemplo deles, mas Lenin The Lion, não tem apenas uma boa narrativa e a uma arte apaixonante… ele tem aquele jeitinho de game old school que nós faz ficar horas e mais horas andando por lugares e cidades. Ele tem tantos detalhes e uma certa historia por trás que precisamos de um artigo inteiro  só para ele, e a Beatriz Napoli fez isso aqui!

Lenin-the-lion-cidade

O Rei do Cangaço VR

BGS 2018 (Brasil Game Show) realmente é o maior evento de games da America Latina, O Rei do Cangaço foi uma agradável surpresa encontrada por nós durante o evento e depois o lançamento que acompanhamos na pagina do estudio Ignite Games.O Rei do Cangaço é um game estilo shooter, onde você encarna um cangaceiro que morreu e foi julgado a voltar para o sertão para destruir os demônios que andam por lá, com um arte estilo cartoon e bom humor esse jogo é um dos poucos que herois que fazem parte da nossa historia e folclore como se fosse algo estrangeiro.

rei_do_cangaco_vr

No Heroes Here

Esse é jogo brasileiro que vem ganhando muito destaque lá fora, disponível para grandes plataformas, como Playstation 4, Xbox e Steam, o estúdio Mad Mimic é um orgulho para nós brasileiros. Temos acompanhado eles faz alguns anos e vários eventos, e ver o game No Heroes Here amadurecer e ganhar fãs pelo mundo, fez nossos olhos brilharem.A ideia e mecânica do jogo é bem simples, em um mundo sem heróis, pessoas simples fazem atos heroicos, todas em um pequeno castelo devem que é administrado por você, nele você deve construir barreiras, e colocar os habitantes desse castelo em lugares estratégicos para se defender das hordas invasoras. Com um design simples, personagem caricatos, esse jogo te conquista pela a diversão.

no_heros_here

Frostpunk

O indie game favorito do ano, que ganhou como melhor jogo de estratégia e quase… por muito pouco como melhor indie também no the game awards 2018, Frospunk é um jogo que te coloca contra a parede para tomar decisões difíceis! A polonesa 11 bit Studios desenvolveu um indie game que mistura o estilo RTS (Real-time strategy) com sobrevivência, tornando Frostpunk um jogo de estilo unico. Tudo gira em torno de um grande gerador de energia, a ultima esperança da humanidade nesse mundo apocalíptico, você deve explorar, colocar pessoas para trabalhar e se defender contra invasores… tudo isso com pouco recursos e momentos de decisão difícil, por exemplo, não permitir que as pessoas da sua cidade tenham filhos ou enviar crianças para a guerra? Cuidar dos idosos ou deixar eles no frio para morrer? racionar comida para os adultos? Tudo isso não atingi apenas dentro do jogo, mas te faz pensar moralmente em cada ato.

frostpunk-cidade

Celeste

O grande ganhador de melhor indie de 2018, Celeste foi a maior surpresa que tivemos esse ano, é muito difícil falar dele sem citar TowerFall, dois grande jogos produzidos por Matt Makes. Matt mostrou que não foi acerto por acaso, pelo contrário… o cara é um gênio nesse gênero, sabe dar uma boa experiencia e aventura para o jogador. Ele não mudou sua receita de bolo, novamente contou com vários outros estudios para esse game, mas desse tivemos toda aparte da arte do game feita por um brasileiro o Miniboss, uhuuu! Mais pontos para o Brasil. O estilo do game é o Super Meat Boy (para a alegria dos saudosos ), onde a jogabilidade é centrada na precisão e destreza do jogador em saltar sobre plataformas até atingir o ponto final do estágio. Pule, dê dash, escale e vá avançando sem cair em espinhos ou outras armadilhas mortais que a montanha reserva ao jogador.  Com pelo gráficos em pixel art, temos a historia de Madeline, que recebe a missão de escalar a montanha com o nome Celeste, nessa jornada ela conta com pequenos itens e habilidades adquiridas conforme escala a montanha, tornando o game mais desafiador e não enjoativo. Não é por acaso que ele é o melhor indie eleito pelo the game awards 2018.

celeste

 

Bookmark the permalink.