Depois de 2 anos, tivemos o retorno do Anime Friends, durante todo esse tempo, esperávamos um evento novo, com grandes expectativas e lições aprendidas devido a pandemia.Infelizmente não tivemos isso, o que presenciamos foi um evento voltado ao publico velho, aonde se saudavam animes velhos, alguns preconceitos e infelizmente com o velho modelo… “queremos o seu dinheiro“.

Um leitor de primeira viagem, deve estar se perguntando, como um evento de anime e otakus pode ser velho? Ou caso seja aquele nerd/geek que ja frequentou a muito anos o Anime Friends, pode ser um pouco confuso. Para entender melhor esse contexto temos que levar em consideração que quando surgiu a ideia de eventos geek e nerds, a cultura pop não era tão cultuada, alias… todos os eventos eram feitos em escolas e de forma bem menores divididos por temas utilizando as salas que faziam parte da escola, bem os anos passaram, todos crescemos, começamos a trabalhar e ter dinheiro e claro, os organizadores começaram a querer cobrar mais e tudo ficou mais popular e caro, o tempo passou e com ele ficamos todos mais velhos e hoje temos uma geração que nunca pegou a época das escolas e que muito pais não fazem caretas pra levar eles, alias vai a familia toda de cosplayer e vira uma tradição.

Mas esse ano ficou claro que enquanto todos crescem, a geração muda e novos valores morais são revistos, essa bolha do Anime Friends não muda, algumas situações deixam isso muito claro.Vamos começar pela a sexta-feira, primeiro dia do evento. Junto com uma parceria do governo do estado de São Paulo, foi disponibilizado ingressos gratuitos e muitas escolas publicas ganharam ingressos com direito a translado dos alunos para o evento, uma iniciativa que merece aplausos, mas infelizmente mal praticada, ok levar essa galera, mas será que o evento esta preparado para eles?

Ao anda pelo corredores, muitos alunos uniformizados andando junto, parando para ver as vitrines e curtindo pela a primeira vez essa experiencia, mas tivemos o famoso apenas olhe, se quiser se divertir pague… Todas as atrações na sexta-feira eram pagas, o famoso desfile cosplayer e muitas outras atrações free, estariam presentes apenas sabado, dia mais cheio e 100% pago. Isso levanta duas questões importantes, em uma era digital aonde tudo se compartilha e os jovens são em grande parte os maiores usuarios de rede social, como o evento não se posiciona e cria uma experiencia para esse jovens mais carentes que não vão ter condições de pagar o absurdo de R$ 100 reais em uma camisa ou 20 reais para uma experiencia VR, o ticket medio para passear, comer , jogar um games simples e comprar uma caneca de lembrança estava em torno de 80 reais por pessoa, um valor bem elevado.

Outro ponto que precisa ser revista, hoje mais que nunca liberdade com o corpo, inclusão e diversidade estão em evidencia, enquanto outros eventos como Bienal do Livro e Big Festival tinham muita material e areas inclusivas, LGBTQ+, assuntos como liberdade feminina e aceitação de todas as formas de corpos, nesse evento tivemos a situação que deu cara para ele, um surto na apresentação do desfile cosplayer. Ele foi o ponto alto, o que seria o grande retorno, acabou marcando ele como sendo algo com preconceitos.

Uma das participantes estava desfilando com o modelo da B2, uma das poses iconicas dela é tirar a saia antes de lutar, eles fez algo tão perfeito que até essa parte ele copiou o movimento, o que levou a apresentadora dar um surto, com uma mistura de “não faça isso” com “kkkk gente kkk”, ele tentou ser engraçada mas sem jeito, falando até demais durante a apresentação dessa cosplayer.

Um ponto positivo, foi a area dos artista indies, estava bem maior e bem mais legal que das outras vezes, valorizar esse espaço é importante, afinal são esses artistas hoje que trazem algo diferente, todo o resto é dominado por editoras grandes que não tem nada que possa ser comprado em uma livraria ou loja na liberdade, resumindo, pra quer ir em um evento comprar um mangá que vai ser o mesmo valor ou até mais caro que ir comprar em um shopping, na liberdade ou em uma loja on-line na amazon? E você ainda paga pra isso, realmente compensa comprar on-line que o frete é de graça ou menos que R$180 .

O Anime Friends precisa ser revisto e adaptado, com um novo conceito que agrade as novas gerações, afinal com o tempo eles vão ter o dinheiro que o evento busca e não serão nada saudosistas como os velhos, então antes de pagar 180 reais o dia para ir em lugar aonde a unica coisa gratis é a fila, provavelmente eles vão querer ficar em casa.